Todos os posts de Hans

Estampar

Estamparia

Estampar, criar moda, dar visualidade a uma ideia, reproduzir um milhão de vezes uma imagem para massificar uma identidade corporativa, ou social.
A estampa pode ser um produto gráfico-têxtil ou somente têxtil, ou somente gráfico, depende das plataformas técnicas utilizadas para a aplicação do processo. Hoje, o conjunto gráfico-têxtil está em plataformas computadorizadas que permitem a junção dessas artes milenárias; e, mesmo processos da velha guarda, como a serigrafia (que haviam sido anunciados ´extintos´), absorvem as novas tecnologias e enfrentam a era digital lançando produtos e renovando parâmetros operacionais. Continue lendo Estampar

Rosângela Antunes

RedStar
Da formulação de cores (até para remendar o malfeito por urubus-picaretas sempre de plantão…) à estampa perfeita, ela mais madruga nas instalações da Red Star do que em casa. Mulher serigrafista não é ´coisa´ rara nas estamparias sul-americanas, mas no Brasil, e principalmente no tripé nordeste-sudeste, a mulher ocupa espaço artístico-executivo em muitas empresas de pequeno e médio porte e nas quais se ´fizeram´ de peça serigrafada em peça serigrafada. Rosângela Antunes é uma delas… Continue lendo Rosângela Antunes

Inteligência Artificial

Inteligência Artificial

Uma Análise do G. D. Noética
Participantes: Rosemary O´Connor,
Fê Marques, Tereza Nuñez e Mário G. de Castro
Fev., 2018

“Tudo o que é máquina de produção
ou de transporte será um dia um programa
de computador acionado por qualquer
pessoa; e, todas as pessoas terão uma vida
mais saudável, como já anteviu
Nicola Tesla, o mago da ciência do hoje.”

J. C. Macedo – in “Amanhã, a Vida com Cheiro de Vida”,
palestra. Lisboa, 1983.

Continue lendo Inteligência Artificial

Palavra do Editor

OPÇÕES

Publicidade & Negócio

Não, não e não. Como avançar com um negócio sem o publicitar? Difícil. E a publicidade também é o meio e a mensagem que equilibra a manutenção de um negócio de sucesso tendo por base a marca corporativa.

Escutei a questão entre diversas conversas durante um café com editores/fazedores de conteúdos tecnológicos e sociopolíticos. É raro, mas o mundo editorial da tecnologia mistura-se também com outras áreas porque os conteúdos convergem na linha mercantil da comunicação, que é social e é visual

A publicidade e o negócio sugerem opções de trabalho e, acima de tudo, uma interação que leva à idealização de focos. A primeira opção é ter o negócio estruturado, a segunda é dinamizá-lo com publicidade direcionada ao público-alvo, e isto diz tudo. Quando se quer um negócio que vire sucesso e não se alia o produto a uma publicidade, geral ou específica, o sonho do sucesso é difícil de concretizar. Em muitos casos, a divulgação sistemática de uma marca garante a continuidade de um ou mais produtos no campo mercantil, eis a terceira opção. A quarta opção é ter o produto relacionado em textos e eventos tecnológicos e/ou sociais, uma variante que cimenta a institucionalidade.

Não agir segundo tais opções é deixar o produto ao sabor de ondas mercantis que o podem maltratar, porque a evolução da publicidade em torno de um objeto é tão significativa quanto ele mesmo aos olhos e na leitura do público-alvo.

Este tipo de café com editores/fazedores de conteúdos é raro, mas quando acontece gera resultados até para as marcas que servem de base para a conversa.  

 

BARCELLOS, João
Escritor, Pesquisador de História, Conferencista