Rosângela Antunes

RedStar
Da formulação de cores (até para remendar o malfeito por urubus-picaretas sempre de plantão…) à estampa perfeita, ela mais madruga nas instalações da Red Star do que em casa. Mulher serigrafista não é ´coisa´ rara nas estamparias sul-americanas, mas no Brasil, e principalmente no tripé nordeste-sudeste, a mulher ocupa espaço artístico-executivo em muitas empresas de pequeno e médio porte e nas quais se ´fizeram´ de peça serigrafada em peça serigrafada. Rosângela Antunes é uma delas… Da estampa propriamente dita à formulação de cores para chegar a um padrão sob pedido, ou ao remendo do malfeito por pessoas que se aventuram na serigrafia e estragam tudo em que tocam, Rosângela Antunes é a serigrafista por excelência. “Olhe, você me pergunta o que é a Serigrafia para mim… Eh, não sei, não sei, mas é tudo, é uma paixão, e…, sabe?, só está na estamparia serigráfica quem ama tudo isto. É verdade. Serigrafia é paixão pura!” Ela ingressou no mundo serigrafista ainda adolescente. “Aprendi tudo com Evandro e com Beltrão, durante 5 anos, e depois que os dois se separaram fiquei 12 anos com Evandro, e em 2000 abri a Red Star, a minha própria estamparia serigráfica”. O relato dela lembra-me uma conversa com Zé Roberto, da Fremplast, quando o grande empresário de tintas para Serigrafia me mostrou “uma vaquinha sofisticada”, na verdade, estudos para a primeira quadricromia feita por ele, Evandro e Beltrão. Que “…sim”, diz ela, “eles estiveram nos primórdios da evolução da estamparia. E até hoje a Fremplast é a principal fornecedora de tintas para a Red Star”. Ou seja, Rosângela aprendeu o ofício de serigrafista com ´craques´ que eram a referência das confecções no final dos Anos 60, do Séc. 20. Antes de virar empresária, Rosângela trabalhou com Abelardo Villas Boas, que tinha uma confecção e precisava de profissionais com experiência em estamparia., e, então, aplicou toda a experiência adquirida. Olhar esta mulher debruçada sobre uma mesa corrida e puxando com o rodo a tinta em cada matriz que gera a quadricromia é, pela singeleza de cada gesto, entender a arte da estamparia pela fé que alimenta a paixão artística. E se preciso for formular ou reformular cores, eis que ela vira madrugadas até acertar aquela composição [al]química que dá colorido a uma ideia e a faz correr mundo fora numa camiseta, num boné, num equipamento desportivo.

 

 

Rosângela Antunes é isto: a fé da vida que proporciona vida, doa o corpo ou não doa. Ela é a serigrafista d´alma e mão cheia que emociona quem com ela convive.